Category Archives: Arqueologia. Geografia. Biografias. História

Genealogia: Dona Leonor Ernestina, em Vila Chã de São Roque

Dona Margarita, filha legítima de Sebastião de Castro de Lemos e de Dona Maria Madalena de Menezes, da Quinta do Covo, desta freguesia de São Pedro de Vila Chã (de São Roque), nasceu em os dezassete dias do mês de outubro do ano de mil sete centos e cinquenta e sete, foi batizada por mim, o Abade desta freguesia, José Carlos de Azevedo, em a capela da mesma quinta, por virtude da licença que me apresentaram do Muito Reverendíssimo Senhor Frei Aurélio de São Tomás, Provisor e Governador deste Bispado, em os vinte e um dias do mês de novembro, do dito ano; foram padrinhos o Excelentíssimo Senhor Dom Luís da Cunha, Secretário de Estado, com procuração sua, assistiu e tocou, Dom António Manuel de Vilhena, Coronel do Regimento de Aveiro; e a Excelentíssima Senhora Dona Leonor Ernestina[1], Condessa de Daun, Camareira de Sua Majestade Fidelíssima, e mulher do Ilustríssimo e Excelentíssimo Senhor Sebastião José de Carvalho e Melo, do Concelho de Sua Majestade e Secretário de Estado dos Negócios do Reino, e com procuração sua, assistiu e tocou, o Desembargador José Mascarenhas Pacheco Pereira Coelho de Melo; e é neta paterna de António Carlos e Castro, e de Dona Joana Luísa de Noronha, natural, ele, da Vila Nova de Cerveira, Arcebispado de Braga, e ela, da Casa da Trofa; e materna de Fernando de Magalhães e Menezes, e de Dona Luísa Joana, natural, ele da dita Quinta do Covo, e ela da dita Casa da Trofa; de que tudo fiz este assento que assinei com as testemunhas.

Fonte: Arquivo Distrital de Aveiro

[1]  Eleonore Ernestine Eva Wolfganga Josefa, Gräfin von und zu Daun auf Sassenheim und Callaborn

Estudo Genealógico da união dos Motas e dos Farias

Genealogia

O presente estudo tem por base os tempos mortos do dia a dia do coordenador/autor deste levantamento de dados sobre a união d’Os Motas e d’Os Farias e que se encontram compilados sobre o título “Estudo Genealógico da União d’Os Motas e d’Os Farias”, obra que, na presente edição, aberta à discussão, engloba um período que tem início antes do ano de 1764 e termina no final do primeiro trimestre do ano de 2014. Estamos assim a falar de um levantamento que abrange 4 séculos (e estima-se que serão na prática 5 séculos). Como informação complementar refere-se que serão espelhadas cerca de 61 famílias, o número de indivíduos relacionados directamente com a pessoa objeto do estudo, (…) ronda as 129 e é da ordem das 300 a totalidade das personagens aqui relacionadas. As famílias aqui tratadas – as quais se referem ao período supra mencionado – são as seguintes: Os Motas, Os Farias, Os Bastos, Os Sousas, Os Valentes, Os Costas, Os Alves, Os Domingues, Os Ferreiras, Os Soares, Os Leite, Os Pinhos, Os Almeidas, Os Silvas, Os Bordallo, Os Pinhos, Os Lopes, Os Franciscos, Os Carvalhos, Os Dias, Os Azevedos, Os Santos, Os Luís, Os Marques e Os Oliveiras. Ao longo da exposição será mencionado alguns dados associados aos nomes de cada uma das famílias referidas no “Armorial Lusitano” com a inclusão dos respetivos brasões das famílias, as quais, eventualmente, nada terão a ver com as famílias aqui tratadas. Mas em concreto nada podemos concluir sem o aprofundamento da investigação aqui iniciada. Ficamos a aguardar as devidas críticas que possam melhorar – na presente obra – a imagem de tantos intervenientes e tão poucos leitores/descendentes.

 

Comemoração dos 150 anos do nascimento de António José de Oliveira Júnior

É tempo de relembrarmos a grande figura de São João da Madeira, neste ano em que se deve comemorar os 150 anos do nascimento de António José de Oliveira Júnior.

Estamos convictos, apesar de faltar ainda um escasso período de 2 meses (relembra-se que o Comendador António José de Oliveira Júnior, nasceu a 17 de Abril de 1864),  que todos os organismos locais estão conscientes deste momento e da importância desta grande personalidade.

Deixamos aqui alguns pontos do seu vasto curriculum que poderão servir de referência:

  • Fundou em 1914 a Empresa Industrial de Chapelaria, Limitada, mais conhecida como a Sanjo.
  • Fundou em 1925 a empresa “Oliveira, Filhos & Cº., Limitada, mais conhecida como a Oliva. Parte das antigas instalações são agora a Oliva Creative Factory.
  • Agraciado pelo Governo Português, em 1930 (acta n.º 55, de 15 de Setembro de 1930) com a Comenda de Mérito e Benemerência.
  • Foi o Primeiro Provedor da Misericórdia local (Regional n.º 20, de 10 de Novembro de 1922).
  • Foi vereador da Câmara de Oliveira de Azeméis onde defendeu a independência de São João da Madeira. (Ver pág. 228, da obra “São João da Madeira – Cidade do Trabalho).

Registo de óbito

Ás dezasseis horas do dia vinte e nove do mês de Janeiro do ano de mil novecentos trinta e cinco, numa casa da rua Oliveira Júnior, da freguesia de São João da madeira, deste concelho, faleceu de pneumonia, um individuo do sexo masculino, de nome António José de Oliveira Júnior, de setenta anos de idade, de profissão industrial, natural da Freguesia de São João da Madeira, Concelho de São João da madeira, domiciliado na rua referida, filho legitimo de António José de Oliveira, já falecido, natural da Freguesia de Pindelo, Concelho de Oliveira de Azeméis e de Teresa da Silva já falecida, natural da Freguesia de São João da Madeira, Concelho de S. João da madeira.