Tag Archives: Sociologia

Estudo Genealógico da união dos Motas e dos Farias

Genealogia

O presente estudo tem por base os tempos mortos do dia a dia do coordenador/autor deste levantamento de dados sobre a união d’Os Motas e d’Os Farias e que se encontram compilados sobre o título “Estudo Genealógico da União d’Os Motas e d’Os Farias”, obra que, na presente edição, aberta à discussão, engloba um período que tem início antes do ano de 1764 e termina no final do primeiro trimestre do ano de 2014. Estamos assim a falar de um levantamento que abrange 4 séculos (e estima-se que serão na prática 5 séculos). Como informação complementar refere-se que serão espelhadas cerca de 61 famílias, o número de indivíduos relacionados directamente com a pessoa objeto do estudo, (…) ronda as 129 e é da ordem das 300 a totalidade das personagens aqui relacionadas. As famílias aqui tratadas – as quais se referem ao período supra mencionado – são as seguintes: Os Motas, Os Farias, Os Bastos, Os Sousas, Os Valentes, Os Costas, Os Alves, Os Domingues, Os Ferreiras, Os Soares, Os Leite, Os Pinhos, Os Almeidas, Os Silvas, Os Bordallo, Os Pinhos, Os Lopes, Os Franciscos, Os Carvalhos, Os Dias, Os Azevedos, Os Santos, Os Luís, Os Marques e Os Oliveiras. Ao longo da exposição será mencionado alguns dados associados aos nomes de cada uma das famílias referidas no “Armorial Lusitano” com a inclusão dos respetivos brasões das famílias, as quais, eventualmente, nada terão a ver com as famílias aqui tratadas. Mas em concreto nada podemos concluir sem o aprofundamento da investigação aqui iniciada. Ficamos a aguardar as devidas críticas que possam melhorar – na presente obra – a imagem de tantos intervenientes e tão poucos leitores/descendentes.

 

Anúncios

Viver sem comentadores

Porque teremos de estar mortos em vida?

Imagem

Próspero Ano Novo!

Ano-Novo-web

O puto que não tem Hi5, Facebook, Twitter, MySpace…

Os valore$ em cri$e!…

Ler devia ser proibido!…

Salvem os ricos (contemporâneos) www.arrastao.org

Será que os fantasmas da Idade Média pairam nos nossos dias?

O pintor Matthias Grunewald retratou nesta obra, cujo título é “Tentação de Santo António”, o sentimento de que “demónios insaciáveis ameaçavam os fracos e os imprudentes”. A história tem confirmado esse mesmo sentimento.

Mourinho: «Portugal nem com Ronaldo a mil à hora»

Neste título de uma notícia publicada no Record  temos como:

Figura com estilo: Mourinho

Figura de estilo: na frase “Portugal nem com Ronaldo a mil à hora” temos um conjunto de  figuras de estilos, tais como: a Elipse, Hipérbole, Metáfora, …

Poder-se-á pensar tudo o que Cristiano Ronaldo pode fazer numa hora:

  • … Ronaldo a mil quilómetros à hora
  • … Ronaldo a mil falhanços à hora
  • … Ronaldo a mil faltas sofridas à hora

Enfim, deve-se entender: … Ronaldo em boa forma!

Dia do trabalhador

Programma da Maria da Roda

Fica aqui o “Programma da Maria da Roda”, ilustrado, como era apanágio de “O Petardo”. programa esse tão conciso e tão perene que não cansa e tem a virtualidade de esclarecer mesmo os que “vivem à moderna”.

Para uma melhor leitura da imagem e do texto nele contido sugere-se que ampliem a imagem, bastando para isso clicar na mesma.

Como deixar de fumar

Título requisitado em todos os media mesmo nos blogs! E para não fugir à regra este blog não podia deixar de fazer menção a este grave problema.
 
Existe muitos pareceres sobre este assunto, mas a verdade é que se deixa de fumar por motivos não racionais. Vejamos como exemplo as seguintes, entre outras causas:
  • Porque se teve um grave problema de saúde;
  • Porque as condições financeiras já não o permitem.
Sobre este tema recomendo a leitura de COMO DEIXAR DE FUMAR.
 
 

study > do > feel better

Precisa-se de matéria prima para construir um País

Eduardo Prado Coelho teve a lucidez de nos deixar esta reflexão, sobre nós todos, que bem merece uma leitura atenta.

 

 Precisa-se de matéria prima para construir um País
Eduardo Prado Coelho – in Público

A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia,

bem como Cavaco, Durão e Guterres.

Agora dizemos que Sócrates não serve.

E o que vier depois de Sócrates também não servirá para nada.

Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão

que foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates.

O problema está em nós. Nós como povo.

Nós como matéria prima de um país.

Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA é a moeda

sempre valorizada, tanto ou mais do que o euro.

Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude

mais apreciada do que formar uma família

baseada em valores e respeito aos demais.

Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais

poderão ser vendidos como em outros países, isto é,

pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal

E SE TIRA UM SÓ JORNAL,
DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.

Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares

dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa,
como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil

para os trabalhos de escola dos filhos… e para eles mesmos.

Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque
conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo,

onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos.

Pertenço a um país:

-Onde a falta de pontualidade é um hábito;

-Onde os directores das empresas não valorizam o capital humano.

-Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e, depois,

reclamam do governo por não limpar os esgotos.

-Onde pessoas se queixam que a luz e a água são serviços caros.

-Onde não existe a cultura pela leitura (onde os nossos jovens dizem que

é ‘muito chato ter que ler’) e não há consciência nem memória
política, histórica nem económica.

-Onde os nossos políticos trabalham dois dias por semana para aprovar projectos e leis

que só servem para caçar os pobres, arreliar a classe média

e beneficiar alguns.

Pertenço a um país onde as cartas de condução e as declarações médicas
podem ser ‘compradas’, sem se fazer qualquer exame.

-Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços,

ou um inválido, fica em pé no autocarro, enquanto a pessoa que está sentada

finge que dorme para não lhe dar o lugar.

-Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro

e não para o peão.

-Um país onde fazemos muitas coisas erradas,

mas estamos sempre a criticar os nossos governantes.

Quanto mais analiso os defeitos de Santana Lopes e de Sócrates,

melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem

corrompi um guarda de trânsito para não ser multado.

Quanto mais digo o quanto o Cavaco é culpado, melhor sou eu como português,

apesar de que ainda hoje pela manhã explorei um cliente que confiava em mim,

o que me ajudou a pagar algumas dívidas.

Não. Não. Não. Já basta.

Como ‘matéria prima’ de um país, temos muitas coisas boas,

mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que o nosso país precisa.

Esses defeitos, essa ‘CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA’ congénita,

essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui

até se converter em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana,

mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates,

é que é real e honestamente má, porque todos eles são portugueses como nós,
 ELEITOS POR NÓS. Nascidos aqui, não noutra parte…

Fico triste.

Porque, ainda que Sócrates se fosse embora hoje,

o próximo que o suceder terá que continuar a trabalhar com a mesma matéria prima
 defeituosa que, como povo, somos nós mesmos.

E não poderá fazer nada…

Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor,

mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a

erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá.

Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco,

nem serve Sócrates e nem servirá o que vier.

Qual é a alternativa ?

Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei

com a força e por meio do terror ?

Aqui faz falta outra coisa. E enquanto essa ‘outra coisa’ não comece

a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados,

ou como queiram, seguiremos igualmente condenados,

igualmente estancados… igualmente abusados !

É muito bom ser português. Mas quando essa portugalidade autóctone começa

a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento
como Nação, então tudo muda…

Não esperemos acender uma vela a todos os santos,

a ver se nos mandam um messias.

Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses

nada poderá fazer.

Está muito claro… Somos nós que temos que mudar.

Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a acontecer-nos:

Desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e,
francamente, somos tolerantes com o fracasso.

É a indústria da desculpa e da estupidez.

Agora, depois desta mensagem, francamente, decidi procurar o responsável,

não para o castigar, mas para lhe exigir (sim, exigir)
que melhore o seu comportamento e que não se faça de mouco,

de desentendido.

Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO DE QUE O ENCONTRAREI
 QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO.

AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO NOUTRO LADO.
 E você, o que pensa ?… MEDITE !

EDUARDO PRADO COELHO

Pordata, a Base de Dados sobre Portugal Contemporâneo

Com trabalhos como o PORDATA tenho a certeza que as pessoas poderão comunicar!… e deixarem de serem simples falantes do “nada” e acabarem por concordar, ou não, com os possíveis oradores só pela sua aparência. Parabéns!

Acordo ortográfico da Língua Portuguesa

 

Informação disponibilizada em: www.priberam.pt

Declaração dos Direitos Humanos (The Universal Declaration of Human Rights)

Em 2010 e sempre apelemos ao cumprimento dos princípios constantes na Declaração dos Direitos Humanos… e não só!

2009 in photos (part 3 of 3) – The Big Picture – Boston.com

2009 in photos (part 3 of 3) – The Big Picture – Boston.com

Posted using ShareThis

2009 in photos (part 2 of 3) – The Big Picture – Boston.com

2009 in photos (part 2 of 3) – The Big Picture – Boston.com

Posted using ShareThis

The decade in news photographs – The Big Picture – Boston.com

The decade in news photographs – The Big Picture – Boston.com

Posted using ShareThis

31 – Sociologia

Centro de Estudos Sociológicos (CIS)
http://www.cis.es

Dicionário Crítico das Ciências Sociais
http://www.ucm.es/info/eurotheo/terminog.htm

Dicionário da Diversidade
http://www.inform.umd.edu/EdRes/Topic/Diversity/Reference/divdic.html

Dicionário de Sociologia
http://www.webref.org/sociology/sociology.htm

Dicionário do Sexo na Bíblia
http://www.hobrad.com/and.htm

Enciclopédia do Misticismo
http://www.pantheon.org/mythica.html

Glossário da Sociedade da Informação
http://www.juntaex.es/consejerias/ect/dgsi/proyectosi/docs/Glosario.htm

Glossário das Civilizações da Terra
http://www.wsu.edu:8080/%7edee/GLOSSARY/GLOSSARY.HTM

Glossário de Sociologia de Elwell
campus.murraystate.edu/academic/faculty/frank.elwell/prob3/glossary/socgloss.htm

Glossário de Termos da Sociologia
http://www.library.canterbury.ac.nz/soci/

Glossário DIG
http://www.digonsite.com/glossary/ag.html

Petit lexique des Superstitions
http://www.alyon.asso.fr/litterature/superstitions

Símbolos
http://www.symbols.com