Tag Archives: Genealogia

Descendência de Gonçalo Lopes

O presente desenvolvimento do prometido na anterior publicação, com o nome de ”Os Motas”  tem obrigatoriamente de ser acompanhado do excelente trabalho intitulado “A Torre de Cesar Descendência de Sebastião Lopes Godinho, Senhor da Honra de Cesar e de Gaiate”, da autoria de Arlindo da Silva Pinho Martins e de Luís Miguel da Silva Pinho, edição do “Instituto de Genealogia e Heráldica da Universidade Lusófona do Porto”, com prefácio de Fernando Pinto do Amaral, e introdução de M. Antonino Fernandes. Esta obra é de leitura obrigatória para quem deseja estudar a descendência de Sebastião Lopes Godinho.

Aqui iremos mencionar a descendência de Gonçalo Lopes, pai de Sebastião Lopes Godinho até ao seu pentaneto Marcelino de Almeida, que apesar de ter falecido solteiro, deixou descendência que aqui desenvolvemos até Silvino Soares.

Passamos a transcrever, da supra referida obra, o seguinte destaque introdutório: 

“Importa salientar, à guisa de conclusão:

1- A quinta da Torre de Cesar foi a sede de uma honra medieval;

2- O casal de Gaiate, de acordo com as inquirições de 1288, detinha alguns privilégios, mas nunca aparece designado por honra; entre 1353 e 1441 encontra-se documentado o pagamento de direitos ao Mosteiro de S. Pedro de Pedroso.

3- Sebastião Lopes Godinho foi senhor da honra de Cesar e do casal de Gaiate, daí intitular-se senhor de Cesar e de Gaiate;

4- Eva Machada e seu marido Gaspar Leitão Coelho receberam de herança o casal de Gaiate, onde foram residentes e vieram a falecer, respectivamente a 28-9-1613 e a 21-11-1598, como consta dos paroquiais de Milheirós de Poiares;

5- O casal de Gaiate foi vendido por Sebastião de Carvalho e Melo, a 20 de Setembro de 1674, a António de Magalhães de Meneses, Morg. do Covo, transitando com o negócio o tratamento de senhores do casal de Gaiate, e não qualquer outro;

6- A quinta da Torre, bem como a dignidade de senhores de Cesar, continuou na descendência de Sebastião Lopes Godinho, tendo-lhe sucedido sua neta, Maria Pereira Godinho.”

…ooOoo…

I –  Gonçalo Lopes e Filipa Mendes nasceram por volta de 1478, em Cesar, Oliveira de Azeméis,  senhores da quinta da Torre de Cesar. 

Tiveram os seguintes filhos:

1(II) Sebastião Lopes Godinho, que segue:  

2(II) Joana Lopes. Continuar a ler

Os Motas

I    – Gaspar Gonçalves, nasceu por volta de 1646, no lugar de São Mamede, Guisande, Santa Maria da Feira, e faleceu a 22 de Abril de 1702, no lugar da Barrosa, Guisande. Casou com Ana Fernandes,  nascida também por volta de 1646, no lugar de São Mamede, Guisande, Santa Maria da Feira, e faleceu a 16 de Novembro de 1693, no lugar da Barrosa, Guisande.  Ana Fernandes fez testamento verbal, o qual passo a transcrever na sua totalidade:

Ana Fernandes mulher de Gaspar Gonçalves, do lugar da Barrosa, faleceu aos dezasseis dias do mês de novembro de mil seiscentos e noventa e três. Fez testamento verbal e nele dispôs que deixava a seu filho Manoel, solteiro, os seus bens móveis e de raiz com a obrigação dele satisfazer aos mais filhos em dinheiro e de lhe fazer três ofícios cada um de sete padres E que deixava o terço dos frutos das terras que possuía a seu marido Gaspar Gonçalves enquanto fosse vivo e que deixava para miss

Continuar a ler

Os “Aranhas” de Canedo

Da publicação sob o título “Descendência dos Condes da Feira” tinha ficado a intenção de se desenvolver, em parte, a descendência de:

4(IV)         Isabel Fernandes.

Passamos à publicação da referida descendência:

Paragrafo § 2

 

IV –  Isabel Fernandes, nasceu a 28 de dezembro de 1676, no lugar da Várzea, Canedo, Santa Maria da Feira, e morreu a 3 de fevereiro de 1688 em Canedo, Santa Maria da Feira.  Casou a 26 Outubro de 1693, em Canedo, Santa Maria da Feira, com Manuel da Silva, filho de Clemente Aranha, e Natália da Silva, nascido a 31 de março de 1670, em Canedo, Santa Maria da Feira, neto paterno de Gaspar António e de Isabel António, neto pela parte materna de Roque Ferreira e de Maria da Silva, bisneto pela parte paterna de Gonçalo António e de Luísa Antónia e de Adão António e de Verónica Francisca, todos da freguesia de Canedo. Manuel da Silva tem como profissão ser “rendeiro”. Continuar a ler

Descendência dos Condes da Feira

O que nos diz a história sobre António Nunes Gassamar, tetraneto de D. Nuno Álvares Pereira, filho 2.º do 4.º Conde da Feira?

…ooOoo….

I –   Martim Gonçalves, nasceu por volta de 1576, no lugar de Fagilde, Canedo, Santa Maria da Feira. Casou com Isabel Gonçalves, a 5 de maio de 1596, em Canedo, Santa Maria da Feira.

Filhos nascidos no lugar de Fagilde:

 

1(II)          Isabel Gonçalves, nasceu a 21 de março de 1597,

2(II)          Martinho Gonçalves, nasceu a 27 de fevereiro de 1602,

3(II)          Francisco Gonçalves, nasceu a 23 de dezembro de 1609,

4(II)          António Gonçalves, nasceu a 5 de junho de 1613,

5(II)          Maria Gonçalves, nasceu a 17 de junho de 1616,

6(II)          Ângela Gonçalves, que segue.

Continuar a ler

OS PADRES NA GENEALOGIA DA FAMÍLIA Padre António de Bastos

Continuar a ler

OS PADRES NA GENEALOGIA DA FAMÍLIA

O PADRE ANTÓNIO DE BASTOS E “OS CHAPISCAS”

Continuar a ler

Os Padres na Genealogia da Família – Reverendo Padre Francisco Valente

Antes de ser Valente já o era

1. Brígida Valente, nasceu por volta de 1580, em Válega, e viria a casar com Valentim Fernandes. Tiveram os seguintes filhos, de que tenho conhecimento:

2. António Fernandes Continuar a ler

Os Padres na Genealogia da Família – Baltasar Pereira de Pina

1. Pedro Pereira, nasceu no lugar de Paços, freguesia de São Martinho de Fajões, concelho de Santa Maria da Feira, e deve ter nascido na primeira metade do século XVII. Casou com Domingas João. Faleceu no lugar de Paços, na freguesia de São Martinho de Fajões, a 2 de Junho de 1745, com cerca de 82 anos, viúvo de Domingas João, a qual tinha falecido no mesmo lugar e freguesia, em 6 de Março de 1741. Deste casamento, tiveram os seguintes filhos:

2. Manuel Pereira de Pina

2. Domingos Pereira de Pina, nasceu a 5 de Março de 1685;

2. Baltasar Pereira de Pina

2. Francisco Pereira de Pina, nasceu a 12 de Março de 1691. Casou com Domingas Luís, filha de Domingos André e Domingas Luís, em 16 de Fevereiro de 1706. Ficou viúvo a 19 de Novembro de 1706, tendo vindo a falecer a 14 de Setembro de 1707, sem deixar descendência.

2. João Pereira de Pina, nasceu a 8 de Junho de 1693;

2. Salvador Pereira de Pina, nasceu a 6 de Setembro de 1695;

2. Alexandre Pereira de Pina, nasceu a 6 de Abril de 1698;

2. Alexandre Pereira de Pina, nasceu a 19 de Agosto de 1704;

2. Maria Teresa de Pina, nasceu a 26 de Janeiro de 1707. Casou com António Martins Ferreira, a 8 de Fevereiro de 1735. Faleceu a 18 de Junho de 1768, tendo sido depositado o seu corpo na Capela de Nossa Senhora das Dores, Lugar dos Paços, freguesia de São Martinho de Fajões. Seu marido faleceu a 3 de Dezembro de 1785, e o seu corpo também foi sepultado na Capela de Nossa Senhora das Dores.

2. Isabel Pereira de Pina, nasceu a 14 de Outubro de 1710. Foi casada com José António, e tiveram descendência.

2. Manuel Pereira de Pina, nasceu no lugar de Paços, freguesia de São Martinho de Fajões, concelho de Oliveira de Azeméis, a 8 de Junho de 1683. Casou com Isabel Luís, natural do lugar de Paços, freguesia de São Martinho de Fajões, concelho de Oliveira de Azeméis, filha, deduzo, de Domingos André e de sua mulher Domingas Luís, ambos do lugar de Paços, de que ficou viúvo a 7 de Junho de 1703. Que saiba, não teve descedência.

Casou, pela segunda vez, com Maria João, filha de Pedro Francisco e de Maria João, naturais do lugar do Covelo, São Martinho de Fajões, a 11 de Outubro de 1703. Deste casamento teve

3. Maria, nasceu a 11 de Dezembro de 1705,

3. Isabel, nasceu a 6 de Outubro de 1711.

2. Baltasar Pereira de Pina, nasceu a 22 de Abril de 1689, no lugar de Paços, freguesia de São Martinho de Fajões. Casou a 16 de Fevereiro de 1706, com Maria Luís, filha do já referido casal, Domingos André e Domingas João. Neste mesmo dia também ocorreu o casamento do irmão de Baltasar, o Francisco Pereira de Pina, conforme mencionado acima, com Domingas Luís, irmã de Maria Luís. Ficou viúvo a 2 de Junho de 1708. Deste casamento não teve descendência.

Devem ter sido tempos difíceis para Baltasar Pereira de Pina. Ocorreram muitas mortes na família da mulher, senão vejamos:

Isabel Luís, sua cunhada, faleceu a 7 de Junho de 1703

Domingos André, sogro. faleceu a 17 de Abril de 1706

Domingas Luís, sua cunhada, faleceu a 19 de Novembro de 1706

Maria Luís, esposa, faleceu a 2 de Junho de 1708

Baltasar Pereira de Pina segue a vida espiritual. E é assim, como testemunha, mas também como padre, que o encontramos num batizado, a 25 de Março de 1716. Tinha ele a idade de 27 anos. E desse dia em diante surge-nos como uma das principais figuras do clero da freguesia de Fajões.

Em 9 de Fevereiro de 1721, de uma relação amorosa com Isabel Pereira, natural de Azagães, freguesia de Carregosa, nasceu:

3. Manuel Caetano Pereira

No assento do batismo não é mencionado o nome do pai, o Reverendo Padre Baltasar Pereira de Pina.

Em 1737, mandou construir a Capela da Senhora das Dores, nos terrenos de família.

É no assento do casamento de Manuel Caetano Pereira, a 30 de Janeiro de 1740, e, mais tarde, em 30 de Setembro de 1771, no assento do casamento do seu neto, Manuel Caetano Pereira, acto que teve lugar na Capela da Senhora do Ó, “que serve de Igreja”. No assento de outro seu neto, José Caetano Pereira, acto que ocorreu também na Capela da Senhora do Ó, a 1 de Agosto de 1776, também é mencionado, como avós paternos, Baltasar Pereira de Pina e Isabel Pereira (solteira).

A 4 de Outubro de 1771, aos oitenta e dois anos de vida, o Reverendo Padre Baltasar Pereira de Pina, tendo celebrado no dia antecedente, perde repentinamente os sentidos. Foi sepultado “na sua Capela da Senhora das Dores”. Não fez testamento. E “seus herdeiros são obrigados a fazer-lhe os bens da alma conforme o uso e costume”. E assim fizeram.

Nestes tempos, os filhos naturais podiam tomar parte na herança dos pais. Para o descendente do Reverendo Padre Baltasar Pereira de Pina nada sabemos sobre se ocorreu alguma doacção em vida visto que após a sua morte e, por ausência de testamento, não terá sido contemplado na repartição dos bens.

Recentemente foi dado o nome do “Padre Baltazar Pereira de Pina” à rua que passa em frente à Capela da Senhora das Dores,.

3. Manuel Caetano Pereira, casou com Domingas da Silva, a 30 de Janeiro de 1740, filha de João da Silva e de sua mulher Domingas João, neta paterna de António Ferreira e de Isabel da Silva, neta materna de Domingos Jorge e de sua mulher Maria João, bisneta paterna de Amador Gomes, natural de Milheirós de Poiares e de Domingas Ferreira, natural de Cesar, e de André, escravo de Manuel de Pinho, de Azagães, Carregosa, e de Isabel, solteira, natural de Cesar, e bisneta materna de Domingos Jorge e de Domingas Antónia, de São João da Madeira, e de Tomé João e de sua mulher Joana Dias, ambos naturais de Nogueira do Cravo.

No registo de casamento, surge como pai, o Reverendo Padre Baltasar Pereira de Pina, do lugar de Paços, da freguesia de São Martinho de Fajões. O nome da mãe não é mencionado. Teve

4. Maria João, nasceu a 22 de Junho de 1743.

4. Manuel Caetano Pereira, que segue.

4. Domingos Caetano Pereira, nasceu a 7 de Abril de 1747.

4. João da Silva, nasceu a 7 de Janeiro de 1750. Casou a 3 de Setembro de 1773, com Inácia Maria da Silva, natural de Azagães, Carregosa, filha de Manuel Ferreira e Antónia Maria, naturais de Azagães, Carregosa.

4. José Caetano Pereira da Silva, que segue.

4. Manuel Caetano Pereira. nasceu a 7 de Abril de 1747, no lugar de Travasso, freguesia de Cesar. Casou com Rosa Francisca de Jesus, a 30 de Setembro de 1771, filha de António Francisco e Maria Moreira, natural do lugar do Outeiro de Cima de Manhouce, freguesia de Arrifana. Teve

5. Fernando Pereira

5. Custódia Francisca

5. António Caetano Pereira

5. João Caetano Pereira

5. Josefa Francisca

4. José Caetano Pereira da Silva, nasceu a 25 de Setembro de 1756, no lugar de Travasso, freguesia de Cesar. Casou com Rosa Luiza de Pinho, a 1 de Agosto de 1776, filha de Francisco Jorge de Pinho e de Maria Luiza, natural do lugar das Laceiras, freguesia de Arrifana. Teve

5. António Silva

5. Rosa Maria de Jesus, Casou com Teotónio Gomes de Pinho

5. Maria Silva

5. Joana Silva

5. Inácia Silva